As baratas são insetos pertencentes a ordem Blattodea e estão presentes no mundo todo. Apesar de existirem cerca de 5.000 espécies, menos de 1% são consideradas como pragas sinantrópicas, ou seja, que convivem no mesmo ambiente que o homem. Os maiores problemas trazidos pelas baratas é o risco de contaminação, já que são vetores mecânicos e podem transportar diversos tipos de microorganismos, como bactérias, fungos, protozoários, vermes e vírus. 

 

As baratas são responsáveis pela transmissão de várias doenças, através das patas e fezes pelos locais onde passam, sendo assim consideradas perigosas para a saúde dos seres humanos. 

 

As espécies mais conhecidas e consideradas pragas no Brasil são a barata Periplaneta americana (barata de esgoto, barata cascuda, barata voadora), que mede por volta de 3 cm de comprimento e a barata Blattella germânica (francesinha, paulistinha, barata de cozinha), que mede cerca de 1cm a 2 cm.

 

Principais espécies

Baratas

Periplaneta Americana

 

A Periplaneta americana é a barata popularmente mais conhecida como barata de esgoto e barata voadora, e está frequentemente associada ao aparecimento em residências, principalmente nos períodos quentes como o verão. Sua coloração é marrom escura, tem um aspecto “cascudo” e possuem a capacidade de fazerem pequenos vôos.

 

Vivem em galerias de esgoto, caixas de esgoto, caixas de gordura, locais com acúmulo de lixos, amontoados de caixas e papelão, festas, batentes de portas ocos, painéis elétricos, entre outros. 

 

Possuem hábitos noturnos e adentram nas residências através de portas, janelas e principalmente ralos abertos. Seu corpo achatado lhe confere uma grande vantagem para passar por locais apertados e frestas sem dificuldade. 

 

Seu controle pode ser realizado através de tratamentos de redes de esgoto e pontos estratégicos, através de técnicas e produtos utilizados por empresas especializadas em controle de pragas. 

 

O ciclo de vida da Periplaneta americana ocorre após a reprodução do casal, que irá gerar uma ooteca (bolsa de ovos) onde a fêmea desta espécie deposita em locais protegidos, dando origem a cerca de 14 a 16 filhotes em média.  O período de incubação dos ovos é de aproximadamente 25-40 dias e o período de desenvolvimento das ninfas ocorre em 130-150 dias com 9 a 13 mudas (machos e fêmeas). Os adultos vivem cerca de 250-350 dias, sendo que o macho vive menos que a fêmea. Após atingirem a fase adulta e maturidade sexual os filhotes começam um novo ciclo de reprodução.

 

Blatella Germanica

 

A Blatella germanica é a barata conhecida como barata de cozinha, francesinha, paulistinha, entre outros, são pequenas, de coloração castanho e duas faixas paralelas e longitudinais no dorso. É uma praga de difícil controle devido aos seus hábitos de se alojarem em locais de difícil acesso. 

 

Essas baratas costumam causar muitos transtornos para residências e estabelecimentos que manipulam, armazenam e produzem alimentos, como restaurantes, mercados, hortifrútis e padarias. Fazem seus abrigos em frestas de azulejos quebrados, motores de freezers e geladeiras, forros, espelhos de tomada e tubulações elétricas, equipamentos eletrônicos, painéis elétricos, móveis de madeira, coifas, pias e bancadas, entre outros. Possuem hábitos noturnos e podem ser dispersadas por transporte passivo, vindo em caixas e mercadorias de fornecedores.

 

Seu controle pode ser realizado através de tratamentos contínuos e específicos, como pulverização, atomização e iscagem em gel, variando de acordo com o local e nível de infestação. É considerada a praga mais importante dentre as baratas, por possuírem alto potencial reprodutivo. A fêmea costuma arregar a ooteca durante quase todo o período de incubação dos ovos depositando-a em local favorável para o desenvolvimento dos filhotes. Pelo pequeno tamanho diminuto podem se esconder em locais inacessíveis à ação dos inseticidas. O período de incubação dos ovos é de aproximadamente 17 dias e o período de desenvolvimento das ninfas é em cerca de 38-40. Os adultos vivem em média 4 meses (machos) e 6 meses (fêmeas). As fêmeas geram de 4 a 8 ootecas, com cada ootecas gerando cerca de de 30 a 40 filhotes.

 

Podem ser necessárias várias aplicações para controle total da infestação com esta espécie, uma vez que seus ovos não são afetados pelos inseticidas. Para sucesso no controle recomenda-se consultar uma empresa especializada em controle de pragas, pois os especialistas definirão quais as melhores técnicas e produtos a serem empregados

Prevenção contra baratas

 

  • Manter alimentos guardados em recipientes fechados;

  • Conservar armários e despensas fechados, sem resíduos de alimentos;

  • Verificar periodicamente, frestas e cantos de armários e paredes;

  • Recolher restos de alimentos e qualquer outro tipo de lixo em recipientes adequados;

  • Remover e não permitir que sejam amontoados: caixas de papelão e lixo em locais não apropriados;

  • Manter caixas de gordura e galerias bem vedadas;

  • Colocar tampas em ralos não sifonados;

  • Colocar borracha de vedação na parte inferior externa das portas;

  • Manter bem calafetados as junções de revestimentos de paredes e pisos;

  • Ficar atento com os tetos rebaixados;

  • Limpar periodicamente a parte posterior de quadros ou painéis;

  • Remover e destruir ootecas (ovos de baratas);

  • Excluir a prática de fazer pequenos lanches na mesa de trabalho, protegendo os teclados dos computadores das migalhas de pão, biscoitos, etc.;

  • Providenciar a vedação ou selagem de rachaduras, frestas, vasos, fendas, que possam servir de abrigo para as baratas;

  • Praticar limpezas úmidas totais, tantas vezes por dia quanto necessário para manter desengordurados, pisos, coifas, fogões e maquinários.

Ligue agora!

(11) 4117 8040

Whatsapp

(11) 9.8738 0203

Facebook

Curta nossa página

  • Facebook Clean
  • download.png

© 2010 Desenvolvido por NBcpp CO.