Existem milhares de espécies de serpentes em todo mundo. Nos campos e florestas brasileiras, podemos encontrar diversas espécies diferentes, o que faz de nosso país um dos lugares com maior biodiversidade de serpentes de todo mundo! 

 

Serpentes

As serpentes são répteis, assim como os lagartos, tartarugas e jacarés. São animais que podem se reproduzir depositando ovos, como as corais verdadeiras, ou podem parir seus filhotes já formados, como as jararacas e cascavéis. Ocorrem nos mais variados ambientes. Algumas são aquáticas, outras arborícolas, porém muitas espécies tem hábitos terrestres. Existem algumas serpentes que tem hábitos subterrâneos, ou seja, podem cavar túneis sob o solo. 
Se alimentam de ampla variedade de presas. Existem serpentes que se alimentam de peixes, anfíbios, lagartos, outras que podem se alimentar de aves, incluindo seus ovos, enquanto que muitas predam mamíferos, como por exemplo os roedores. Porém, diversos outros tipos de presas podem compor a dieta das serpentes: aranhas, caracóis, lesmas, lacraias, formigas e até mesmo outras cobras (ofiofagia).

Muitas serpentes são capazes de produzir toxinas e, algumas espécies, possuem dentes especializados para injetar essas toxinas em suas presas. Apesar de serem pouco compreendidas, as serpentes apenas atacam seres humanos quando ameaçadas. No Brasil, são poucas as espécies capazes de causar acidentes de interesse médico. Entre elas, estão as serpentes dos gêneros das corais verdadeiras, das jararacas e cascavéis. 

Saiba o que fazer em caso de acidente

 

  • Mantenha a pessoa calma e deitada, removendo-a do local onde ocorreu a picada;

  • Lave com água e sabão o local da picada;

  • Retire anéis e outros materiais que atrapalhem a circulação na extremidade afetada;

  • Nunca faça torniquete;

  • Mantenha o membro afetado elevado acima ou ao mesmo nível do coração;

  • Transporte imediatamente a pessoa para um hospital;

  • Não é necessário levar a serpente ou descrevê-la para o médico, ele fará o diagnóstico a partir do ferimento e dos sinais e sintomas. Somente o soro antiofidico cura a intoxicação por picada de serpentes.

As serpentes não são pragas e desempenham importante papel na natureza e no controle de populações de diferentes animais, incluindo de animais que podem ser considerados pragas. Sendo assim, podem se beneficiar de algumas condições criadas pelo homem, podendo ocorrer com maior frequência em áreas onde determinadas pragas se multiplicam.